OS GRANDES FUNDADORES DAS PRINCIPAIS RELIGIÕES E DOUTRINAS - Zoroastro e a visão do espírito
 
O zoroastrismo nasceu de uma visão protagonizada por um homem excepcional que, além de profeta foi mago e sanador: Zoroastro. O mítico Zaratustra, mais conhecido por seu nome grego, Zoroastro, é uma incógnita desde seu nascimento. As lendas contam que ele surgiu milagrosamente - anunciado por uma estrela ou por uma coluna de fogo - como rei divino e encarnação de Mitra, para instaurar os mistérios do deus do amor e da bondade. Após muitos anos depois de seu nascimento, Zoroastro iniciou seu trabalho como profeta. Não é possível fixar a data de seu nascimento, mas alguns estudiosos estabelecem entre o ano 1.400 a.C. e o século VI a.C.

Foi um personagem que revolucionou a visão religiosa do Oriente de sua época, vivendo grandes revoltas sociais, quando a cultura da Idade da Pedra abria espaço naquela região para a Idade do Bronze. Dos poucos dados que existem, Zoroastro viveu uma infância normal para sua época, e por volta dos 30 anos de idade decidiu abandonar sua pátria e viver nas montanhas. Sua primeira visão ocorreu no rio Daitu, onde lhe surgiu o espírito de Vohu Manah (o bom pensamento) que o conduziu a Ahura Mazda para instruir-lhe nas doutrinas da religião pura. Durante dez anos se dedicou, em sua solidão, a confeccionar o Zend Avesta, as escrituras sagradas zoroástricas compiladas pelos fiéis do profeta. Na parte mais antiga do Avesta se incluem os Gathas, uma coleção de hinos em versos, e também maiores informações sobre sua vida, obra e ensinamentos.

Nos últimos anos Zaratustra se apresentou como zaotar, cantor e compositor religioso. Os colaboradores mais próximos e discípulos do profeta foram Frasaostra e Jamaspa, além de seus seguidores, conhecidos como pobres, amigos, conhecidos, confederados e magavan (dotados). Zoroastro foi uma personalidade extraordinariamente influente e renovadora no plano religioso.

Em primeiro lugar, ele reduziu o panteão dos deuses típicos indo-europeus a simples arcanjos, auxiliares ou emanações de Ahura Mazda. Ele propôs uma religião monoteísta. Predicou durante dez anos sua visão da deidade e do universo, uma fé baseada em torno de um só deus eterno - Ahura Mazda - que teria criado o mundo com a finalidade de destruir seu rival, o Espírito do Mal, chamado Angra Mainyu. No fundo é o reflexo do dualismo moral, a livre decisão ética entre dois princípios supremos na luta: o bem e o mal.

Dentro dos ensinamentos de Zoroastro existem estudos sobre a vida após a morte, além de referências sobre o fim do mundo, que estará marcado pela purificação no fogo e a transfiguração da vida. Zoroastro utilizou antigas técnicas xamânicas de êxtase, como o canto ou o narcótico banga, que foi utilizado entre os fiéis da primeira comunidade zaratústrica. Estas práticas faziam entrar em "estado de iluminação", e através de visões, Ahura Mazda revelava seus conhecimentos. A figura deste profeta foi considerada de um grande sábio, com grandes conhecimentos astrológicos, até o ponto de ser qualificado de "natureza ígnea" ou "senhor do fogo das estrelas". Seus símbolos, os animais heráldicos que sempre lhe acompanhavam, eram a águia - que representa o orgulho - e a serpente - que representa a inteligência. Estas qualidades inspiraram, quase 3.000 anos depois, ao filósofo Friedrich Nietzsche a escrever sua obra Assim falou Zaratustra.

A religião predicada por Zoroastro é praticada atualmente na Índia, Irã, Paquistão e também nos Estados Unidos.